Difração de Elétrons

 Autores: Me. Giselle dos Santos Castro - Universidade Federal do Ceará - UFC
                  Dr. Nildo Loiola Dias - Universidade Federal do Ceará - UFC

CONTROLES: 

- Clique em ON para iniciar a simulação.
- O cursor Fonte de Alta Tensão regula o potencial de aceleração dos elétrons no Tubo de Difração.
- Uma régua móvel permite a medida dos diâmetros dos anéis observados.

DESCRIÇÃO DA SIMULAÇÃO:

Na simulação Difração de Elétrons um círculo representa a visão frontal do globo de vidro de um tubo de difração de elétrons. Uma fonte de 6.3 V representa a fonte que alimenta o filamento do tubo que, quando aquecido, libera elétrons pelo efeito termiônico, também chamado de efeito Edson. Um cursor representa o controle de uma fonte de alta tensão que acelera os elétrons. Os elétrons acelerados incidem com altas velocidades sobre uma amostra policristalina de grafita (não visível) que está colocada no interior do tubo de difração. Os elétrons são difratados pela estrutura da grafita e formam anéis de interferência construtiva na superfície fluorescente do globo de vidro. Os anéis de interferência evidenciam o comportamento ondulatório dos elétrons cujo comprimento de onda é função da velocidade dos elétrons. Os raios dos círculos observados estão relacionados com o comprimento de onda dos elétrons e com as distâncias entre os planos de átomos nos cristais de grafita. Uma régua permite a determinação dos raios dos anéis de interferência observados. A análise dos valores encontrados para os raios dos círculos observados em função da velocidade dos elétrons e das dimensões do globo de vidro permite a determinação da distância entre os planos de átomos da grafita.

 

Para a análise dos dados consulte um dos ROTEIROS propostos.